28 junho 2013

Drogas y sus poderes, anfeteminas emagrecedoras

Anfetaminas são drogas sintéticas que estimulam a atividade do sistema nervoso central. Edellano, em 1887, foi quem primeiro obteve essa substância em laboratório, que só foi utilizada em larga escala durante a Segunda Guerra Mundial para manter os soldados acordados e mais ativos no esforço de guerra. Ficou evidente também que as anfetaminas, que se mostraram eficazes para deixá-los mais atentos e confiantes, diminuíam a sensação de fome e fadiga.
Passado algum tempo, porém, as autoridades médicas da Inglaterra verificaram que, sob o efeito dessas drogas, o desempenho dos pilotos da RAF ficava seriamente comprometido e proibiram seu uso.
Mais tarde, quando a ação das anfetaminas como inibidoras do apetite foi comprovada, elas passaram a ser usadas nas dietas alimentares pelas pessoas que queriam perder peso. Embora esse tenha sido o uso que as tornou extremamente populares mundo afora, não é o único.
O Brasil é o maior consumidor mundial de anfetaminas, dado que preocupa as autoridades de saúde pública. Para cada mil habitantes, são consumidos nove comprimidos de anfetamina por dia, uma droga que produz tolerância e traz prejuízos indiscutíveis à saúde.

Pesquisando na net achei uma entrevista bacana com DR. Drauzio , e separei as principais perguntas:

Drauzio – Como agem as anfetaminas no cérebro?

Táki Cordás – As anfetaminas e seus derivados exercem determinadas ações químicas sobre o cérebro que provocam excitação, insônia e falta de apetite. As alterações que promovem nos neurotransmissores chamados dopamina e serotonina tornam os indivíduos mais alerta, mais atentos e também conferem grande sensação de bem-estar. Sob o efeito dessas drogas, efeito que se mantém por algum tempo, eles acham que conseguem tudo, podem tudo, tornam-se mais falantes e apresentam aparente melhora do desempenho intelectual.

Drauzio  Mas as anfetaminas não são utilizadas apenas como redutores do apetite…
Táki Cordás – É importante lembrar que a anfetamina e seus derivados têm duas indicações médicas: para o transtorno do déficit de atenção (TDAH), que pode acometer tanto as crianças quanto os adultos, e para a narcolepsia, um distúrbio cujo principal sintoma é a sonolência excessiva.
Exceção feita a esses dois casos, essas drogas são usadas de maneira infeliz e exagerada no controle do peso e do apetite. Elas entram na composição de fórmulas magistrais, que a pessoa toma dois ou três comprimidos por dia e incluem, além da anfetamina, um tranquilizante, um hormônio da tireoide, um diurético, um antidepressivo e outro moderador de apetite.
Drauzio – As anfetaminas realmente reduzem o apetite?
Táki Cordas – Reduzem durante um período limitado. Por isso, muitas vezes, a pessoa aumenta a dose por conta própria para prolongar o efeito. Embora no início as anfetaminas possam promover perda rápida de peso, a suspensão da droga provoca o efeito rebote, o apetite aumenta exageradamente e é comum o indivíduo ganhar mais peso do que tinha antes de tomar a droga

Drauzio – Na verdade, a perda rápida de peso de quem toma anfetaminas acaba servindo de propaganda para o uso dessas drogas. Os amigos veem o resultado – “Puxa, perdeu dez quilos em um mês…” – e ficam tentados a experimentá-las. 
Táki Cordás - Um individuo que perde 10kg em 30 dias tem alguma coisa de errado, porque está consumindo energia demais. Certamente, quando suspender o remédio, vai recuperar os dez quilos que perdeu e mais alguns. Como não quer que isso aconteça, com frequência acaba aumentando as doses diárias das anfetaminas, o que provoca efeitos psiquiátricos às vezes graves.

Drauzio  Caso sejam absolutamente necessárias, por quanto tempo as anfetaminas podem ser usadas?
Táki Cordás – Caso se chegue à conclusão de que não há alternativa de tratamento, o tempo de uso das anfetaminas deve ser muito breve. Em alguns países, não pode ultrapassar dois ou três meses. Volto a insistir no que acontece no Brasil. Se pudermos oferecer outras possibilidades de tratamento para a obesidade, o tempo de uso deve ser nenhum.

Drauzio  Quais são os efeitos colaterais do uso contínuo das anfetaminas?
Táki Cordás – Em geral, as pessoas ficam deprimidas, tristes, irritadas, muito ansiosas, com ataques de pânico e reação suicida. Algumas chegam a desenvolver quadros psicóticos ou paranoides graves. Muitas experimentam perdas importantes tanto profissionais quanto de relacionamento pessoal e precisam aumentar o uso da droga para manter algum nível de funcionamento.

informaçoes tiradas do site Dr. Drauzio

Nenhum comentário:

Postar um comentário