25 setembro 2011

UM POEMA DE DÚVIDA

Minha alma cansada
e o meu coração cheio de dúvidas carecem de desabafo...
 
Acredito que essa poesia,
pelo seu conteúdo,
por ninguém interessa, ser lida.
 
Ela  trata de uma revelação de sentimento pessoal, interior
que, no âmago,
a origem é o amor...
 
O poeta triste
é como um mal perfume,
traz desconforto ao ambiente...
 
Um mal-estar vem à lume, qualquer  um sente
o odor...
 
O que faz diferença no poeta, é que ele escreve tudo que vem à mente...
 
Por isso que fala tanto de saudade, assim como fala do encanto, das belezas,
também não esconde
a sua tristeza...
 
Mas, quem não tem seus dissabores,
Quem não tem momentos de frustração,
Quem não chora as suas dores!
 
Quem não se sente incompreendido!
Quem não mergulha na incerteza!
Quem, na sua desilusão,
não sente tristeza!
 
Uma luz pisca no horizonte da minha vida,
isso, acredito, pode ser a esperança...
 
 Tudo é passageiro, até a própria vida,
desde a euforia das conquistas,
até, os momentos de incerteza...
 
Quero incluir nessas alternâncias
a presença da minha tristeza...
 
Falta-me argumentos para encerrar estepoema,
porque não tenho um motivo concreto
para justificar essa lamentação...
 
Digo para quem me lê, que me entenda,
tenho, como você,
Um coração!

Nenhum comentário:

Postar um comentário